Saber como anunciar no Google é importante para um negócio ter mais visibilidade, aumentar a captação de leads de consórcio e, como consequência fechar mais vendas. 

A Internet se tornou a nova vitrine para empresas que buscam esses resultados de forma mais rápida, e com um baixo investimento. E uma das ferramentas mais poderosas, é o Google Ads. 

Por falar nisso, quer saber como criar um anúncio, otimizar suas campanhas e ser encontrado por potenciais clientes de consórcio? 

Neste artigo vamos falar sobre: 

  • O que é Google Ads
  • Planejamento: como criar uma campanha de anúncios no Google 
  • Como criar um anúncio na prática
  • Políticas para anunciar no Google
  • Quais são as diferenças dos anúncios Google
  • O que é Google Ads? 

O Google Ads é uma plataforma do Google, que permite a criação de anúncios e campanhas no Google, YouTube, Gmail e PlayStore, usando diferentes investimentos, como: CPC (custo por clique), CPM (custo por mil) e CPA (custo por aquisição), sendo CPC o mais famoso e rentável.

Toda vez que alguém faz uma pesquisa no Google, dois tipos de resultados aparecem: os não pagos (orgânicos) e os pagos (também conhecidos como links patrocinados). Os que estão relacionados ao Google Ads são os pagos.

Hoje, nosso foco é mostrar a você como anunciar no Google e as principais vantagens disso! Algumas delas são:

  • Segmentação: seus anúncios aparecem para as pessoas certas e no momento certo. E só serão vistos por quem que estiver procurando por algo parecido com eles;
  • Mensuração: você consegue medir o impacto real da sua campanha e pode editar/alterar seus anúncios ao longo do tempo;
  • Disponibilidade: permite que você crie novos novos anúncios em poucos minutos. 
  • Controle da mensagem: você escolhe como quer falar com seu público, pois é você quem escreve o texto do anúncio que vai aparecer no Google.

Para avaliar os resultados citados acima e ter acesso aos relatórios, é preciso que você saiba como utilizar o Google Analytics para ter mais assertividade em suas campanhas. Mas fique tranquilo(a), nós vamos te explicar isso também! 

  • Planejamento: como criar uma campanha de anúncios no Google 

O Google Ads oferece várias formas para anunciar, algumas delas são pesquisa e display, vídeo e Shopping.

  • Display: mostra os anúncios em outras páginas de site e aplicativos, como Facebook, Gmail e Youtube, por exemplo;
  • Pesquisa: são anúncios que aparecem de acordo com o resultado de uma pesquisa de texto, figurando antes dos resultados não pagos (orgânicos);
  • Anúncios em Vídeo: podem ser exibidos em plataformas como o Youtube, Facebook e demais páginas parceiras;
  • Aplicativos: anúncios dentro dos apps aparecem em formato de banners ou textos simples.
  • Google Shopping: oferece ao usuário produtos de acordo com as pesquisas realizadas por ele. Esse formato é usado por E-commerces como Magalu e Americanas, por exemplo. 

Primeiro passo: defina o objetivo do anúncio

Para ter sucesso anunciando no Google, você precisa definir o objetivo da sua campanha para que os clientes achem seu negócio, entrem em contato e, claro, comprem.

Por exemplo, se você tem uma loja física, opte por visitas à loja” para atrair clientes de consórcio até ela, mas, se for um e-commerce, define ações realizadas no site, como preenchimento de formulários inteligentes e cadastramento em lista de e-mails.

Alguns dos objetivos mais comuns são:

  • receber mais ligações;
  • atrair mais visitantes para a loja;
  • direcionar leads ao site.

Independente da escolha, é muito importante que os anúncios tenham uma mensagem voltada para a experiência do cliente, e que o levem até uma página de destino condizente com a busca feita por ele.

Em outras palavras, ofereça ao potencial cliente (lead) exatamente aquilo que ele procura. Veja a seguir o passo a passo para criar seu anúncio:

Segundo passo: crie e configure sua conta de anúncios no Google

Antes de anunciar no Google você precisa criar uma conta. Para isso, acesse o site do Google Ads e clique em “Começar Agora”, a partir daí é só cadastrar o e-mail que será usado durante as campanhas.

Feito isso, é o momento de configurar a conta com os dados cadastrais da sua empresa e selecionar a forma de pagamento.

Pronto! Agora você já tem uma conta ativa e pode começar a criar seus anúncios.

Terceiro passo: defina o valor que você quer gastar no anúncio

No Google Ads você pode definir o “teto” que deseja investir em anúncios, para poder controlar o seu investimento, e evitar gastar mais que o planejado. Ao estabelecer o orçamento, os resultados das buscas aparecerão de acordo com ele.

Quarto passo: crie a segmentação do seu anúncio

Agora você precisa definir quem seus anúncios irão atingir e quais clientes sua empresa irá conquistar a partir disso.

Você pode segmentar seus anúncios por: 

  • faixa etária;
  • intenção personalizada de busca;
  • informações demográficas;
  • localização;
  • segmentação por dispositivos.

Quinto passo: escolha onde anunciar

Para atingir as pessoas certas, escolha onde você quer exibir seus anúncios: raio de distância da loja, regiões, países, dentre outros.

Lembre-se: o anúncio só trará os resultados esperados ao seu negócio se forem vistos pelo público que está buscando e precisando dele. 

Sexto passo: criar a mensagem do anúncio

Os textos simples são frases curtas usadas para atrair clientes de consórcio com a oferta do seu produto ou serviço. Adicione também imagens e banners, para tornar seus anúncios mais completos e atrativos.

Sétimo passo: publicar o anúncio no Google

Passadas as quatro etapas mencionadas acima, você já pode publicar o seu anúncio no Google, que aparecerá sempre de acordo com as buscas feitas pelas pessoas no navegador.

  • Como criar um anúncio na prática 

Na fase de criação do anúncio, é importante utilizar textos que chamem atenção do usuário para que ele clique no seu anúncio e não no do concorrente. Veja algumas dicas:

Palavras-chave

Ao criar sua campanha no Google Ads, você escolherá uma lista de palavras-chave para ligar seus anúncios a ela. A partir daí, o Google tentará exibir seu anúncio toda vez que alguém fizer uma busca por alguma das palavras-chave da sua lista.

Nós utilizamos o termo “tentar exibir”, pois, para que o seu anúncio apareça, existe um leilão a ser disputado com outros anunciantes.

Como construir uma lista de palavras-chave

As principais dicas desta etapa são:

  • liste pelo menos 10 palavras-chave no planejador do Google;
  • utilize palavras-chave que combinem dois ou três termos, como: “consórcio de imóveis” ou “consórcio de imóveis em são paulo”;

Correspondências de palavras-chave

Existem tipos de correspondências que vão desde abrangentes até as mais restritas:

  • correspondência ampla: em fevereiro de 2021, a resposta de frases começou a incorporar modificadores de correspondências amplas (BMM), a fim de simplificar as palavras-chave utilizadas e fazer com que anunciantes alcancem clientes relevantes. Agora, a correspondência ampla e de frase possuem o mesmo comportamento;
  • correspondência ampla modificada: esse modelo deixará de existir a partir de julho de 2021 e terá o mesmo comportamento da correspondência de frase. Essa unificação passa a ponderar a ordem das palavras-chave na busca para um resultado relevante ao usuário;
  • correspondência de frase: aciona o seu anúncio quando o termo buscado contém a palavra-chave original. Neste modelo, devemos usar a palavra-chave entre aspas, por exemplo “consórcio de imóveis”. Dessa forma, quem buscar por “fazer consórcio de imóveis”, verá seu anúncio. Mas, se alguém buscar por “consórcio nacional de imóvel”, já não o verá;

Uma aplicação importante pode ser exemplificada com as palavras rede de segurança e segurança de rede, a primeira delas trata do material utilizado para se instalar em janelas e varandas, por exemplo, enquanto que a segunda fala sobre redes de computadores. Sendo assim, se você atua com um desses dois segmentos, precisa fazer uso da correspondência de frase, para evitar cliques que não irão gerar conversão.

  • correspondência exata: esse modelo somente exibirá o seu anúncio se o usuário buscar exatamente pela palavra-chave. Para usar essa correspondência, basta incluir a palavra-chave entre colchetes. Exemplo: [carros usados];

A correspondência exata é um recurso de grande valia para termos que gerar ambiguidade. 

Por exemplo, a palavra-chave: consórcio.

Aqui, temos pessoas buscando por: o que é consórcio e pessoas buscando: como fazer um consórcio, que são assuntos completamente diferentes. 

Nesse caso, se você trabalha com consórcio de imóveis, deve fazer uso de palavras-chave do tipo [consórcio de imóveis], [consórcio imobiliário], e por aí vai. 

Você precisa especificar melhor a palavra-chave, adicionando um termo que caracteriza o seu serviço, evitando assim cliques que não trarão resultado ou conversão.

  • correspondência negativa: ainda existe uma última correspondência. O uso desse recurso permite evitar o aparecimento do anúncio para termos amplos que não fazem sentido para o seu negócio.

O uso da correspondência negativa é muito importante para aumentar o CTR do seu anúncio, que nada mais é do que a taxa de conversão que ele teve. Por exemplo, se o anúncio tiver 100 impressões e quatro cliques, o CTR dele é de 4%. Ou seja, para encontrar o CTR, basta dividir o número de cliques pelo número de impressões.

Estrutura do anúncio na rede de pesquisa

Depois de cobrirmos os pontos mais importantes sobre palavras-chave, vamos continuar nosso artigo falando sobre a anatomia dos anúncios na rede de pesquisa Basicamente, o anúncio é formado por um título, uma URL e até duas linhas de descrição. Confira os detalhes:

  • título: use até 25 caracteres e evite o uso de exclamação;
  • URL: ela deve ser amigável, ter até 35 caracteres e incluir o domínio do site. A URL do anúncio pode ser diferente do endereço de destino;
  • descrição: é dividida em duas linhas, sendo que podemos fazer uso de até 35 caracteres em cada uma delas. Esse é o espaço que você irá utilizar para passar a mensagem ao seu usuário.

Você deve ter reparado que o número de caracteres para utilizar em cada um dos componentes do anúncio é bem limitado. Por isso, seja criativo na hora de escrever e use técnicas de copywriting para fazer o visitante da página clicar no seu anúncio.

Além da criatividade, é bom se atentar a outros pontos na hora de anunciar no Google:

  1. Escreva bem e sem erros de português;
  2. Faça uso do call to action, ou seja, peça ao seu usuário que ele faça uma ação. Para fazer isso, lance mão de palavras como: confira, aproveite, compre, faça um orçamento, etc;
  3. Coloque-se no lugar de quem faz a busca, mostre a ele somente resultados relevantes e que de fato são interessantes e condizentes com a busca realizada. Se possível, use no texto do anúncio a palavra-chave que foi buscada, a fim de que o usuário identifique-se melhor com o seu resultado;
  4. Mostre ao internauta as vantagens que o seu produto ou negócio oferecem. Pode ser no preço, condições de pagamento, qualidade, exclusividade. Em linhas gerais, utilize o título e a descrição para mostrar os benefícios;

Dica bônus: a fim de potencializar o alcance dos anúncios em texto, utilize as extensões do Google Ads, como número de telefone, endereço, sitelinks e demais informações complementares.

As extensões costumam aumentar os cliques que um anúncio recebe e oferecem aos visitantes da página outras formas de entrar em contato com o seu negócio, por meio de mapas ou mesmo ligações.

Vale dizer que as extensões manuais necessitam ser configuradas, já as automáticas são incluídas ao anúncio quando o algoritmo do Google entende que elas podem melhorar os resultados.

Páginas de Destino

A combinação de boas palavras-chave e anúncios chamativos não são tudo para se criar uma ótima experiência para o usuário. Precisamos trabalhar bem as páginas de destino, que são as páginas em que os usuários serão redirecionados quando clicarem em seus anúncios. É fundamental que a sua página de destino ofereça exatamente o que o usuário espera encontrar.

Por exemplo, se você fez um anúncio sobre um consórcio de carros, o internauta espera ver modelos de carros que ele poderá adquirir no consórcio. Em outras palavras, ele não vai ficar nem um pouco contente se não encontrar o que espera. Portanto, guarde isso, quando você utiliza páginas de destino com assuntos diferentes do que foi anunciado, você paga da mesma forma pelo clique e ainda corre o risco do cliente deixar seu site após poucos segundos de navegação.

Dicas Práticas para Elaborar uma Boa Página de Destino

  • Explique detalhadamente o seu produto ou serviço;
  • Ilustre a página com imagens e vídeos, deixando-a mais agradável e informativa;
  • Utilize blocos de textos curtos e objetivos. Facilite a leitura do usuário;
  • Tenha um call to action bem posicionado;
  • Explore e explique as principais vantagens e diferenciais do seu produto ou serviço;
  • Se possível, utilize depoimentos reais de pessoas que já foram ou ainda são seus clientes;
  • Tenha uma página de destino responsiva, que se adapte bem em qualquer computador, celular ou tablet;
  • Políticas para anunciar no Google

O Google segue à risca um conjunto de regras que prezam pela boa experiência do usuário. Por isso, algumas práticas e conteúdos estritamente proibidos são:

  • anunciar produtos falsificados;
  • anunciar produtos ou serviços perigosos;
  • violar as instruções ou softwares;
  • criar um conteúdo inadequado (bullying, material sexual, dentre outros);
  • fazer a coleta e uso indevido de dados; 
  • dar declarações falsas.
  • Quais são as diferenças dos anúncios Google?

Para saber como anunciar no Google de uma forma que traga resultados, você precisa ter conhecimento sobre as diferenças dos principais formatos de anúncios.

O Google Shopping é mais indicado para quem possui uma loja virtual ou cliente que queira colocar anúncios dentro da página de e-commerce por meio da plataforma Google. A intenção aqui é simplesmente promover produtos e aumentar o número de visitas da página.

Os vídeos são um dos formatos de anúncios mais utilizados nos últimos tempos. Primeiro, pelos resultados que trazem e, segundo, pelo fato do Youtube ser o segundo maior mecanismo de busca do mundo (atrás do Google). O conteúdo audiovisual permite que você exiba o Youtube Ads e sites parceiros do Google, tendo seu custo por visualizações.

Nos aplicativos, não é possível criar links individuais nas campanhas, como é feito na maioria dos anúncios de Google Ads. Então, eles são criados a partir dos recursos e especificações da página “detalhes do app” em diferentes formatos e redes.

Na rede de pesquisa, seu anúncio aparece junto aos resultados tradicionais do buscador. Já na rede de display, os links patrocinados são vinculados dentro de blocos específicos nos sites. Vamos entender um pouco mais sobre essa rede?

Rede de Display

Com a rede de display do Google, é possível atingir clientes potenciais que nem sabem ainda da existência da sua empresa ou negócio. Com ela, seus anúncios aparecem em sites, blogs, YouTube, Gmail, entre outros.

A rede de display do Google trabalha com segmentação contextual, ou seja, seu anúncio é exibido de acordo com o contexto. Isso significa que o anúncio certo é mostrado no momento ideal. Nesse modelo de rede você pode exibir anúncios gráficos, dando mais destaque ao seu negócio ou serviço.

A rede de display do Google é formada por milhares de sites, dos mais diferentes temas. Esses sites se afiliam à rede de display através do Google AdSense e disponibilizam espaços em suas páginas para exibir anúncios relevantes para quem está navegando por elas. Quando um cliente se interessa e clica no anúncio, o anunciante paga o valor do clique para o Google, que por sua vez repassa uma parte dessa verba para o dono do site. Ou seja, todo mundo sai ganhando.

Tipos de Segmentação da Rede de Display

Existem cinco tipos de segmentação na rede de display, sendo que três deles têm foco na página em que o anúncio é posicionado e os outros dois (por interesse do usuário e remarketing), têm foco no usuário. Confira:

  • Segmentação por palavras-chave: também conhecida como segmentação contextual, nesse modelo você faz uma lista de palavras-chave e o sistema do Google vai utilizá-la para encontrar canais da rede de display que possuem aquelas palavras no conteúdo e vai exibir o seu anúncio ao lado desse conteúdo;
  • Segmentação por canais: esse modelo de segmentação permite que você escolha diretamente em qual site da rede de display você deseja exibir seus anúncios. Escolha pelo menos dez canais para cada grupo de anúncios;
  • Segmentação por tópicos: toda vez que um site se afilia para exibir anúncios da rede de display, ele se associa a um tópico. Portanto, nesse modelo de segmentação você escolhe os temas que se relacionam com o seu anúncio;
  • Segmentação por interesse do usuário: nesse modelo, o Google faz uso do histórico de navegação do usuário para identificar o interesse dele, traçando assim seu perfil;
  • Segmentação por remarketing: com esse tipo de segmentação você mostra os anúncios apenas para quem já visitou o seu site, fazendo uso de um código de remarketing que você deve instalar no seu site para ativar essa segmentação;

Anunciar no Google é uma ótima forma de potencializar seu serviço ou negócio. 

Por isso, aproveite todas as vantagens do Google Ads e comece a ter sucesso hoje mesmo. Não esqueça de seguir atentamente todas as dicas que compartilhamos com você neste artigo, desde a criação dos anúncios até a elaboração da página de destino perfeita. Pense sempre na experiência do usuário! 

Para aprender mais e receber dicas exclusivas sobre como anunciar no Google clique aqui! Você estará em nossa Lista de Transmissão do WhatsApp

Ou se preferir, nós podemos criar uma campanha de anúncios no Google específica para você e o seu negócio. Clique aqui, e converse com nossos especialistas